DAD CHEGA AO FIM

É melhor que seja o fim, é melhor que seja assim

15 de set de 2012

É Melhor que seja o fim, melhor que seja assim


Eu, Julio Fontes, Presidente do Diretório Acadêmico de Design, o DAD, afirmo que é importante esclarecer a proposta de institucionalização do Diretório. Todo contexto que segue é longo e para melhor entendimento, atas e documentos estarão à disposição dos alunos para informações completas.
Nas últimas semanas, nossa atenção tem se dividido entre o relacionamento com a faculdade e os nossos projetos, que em sua maioria foram desacelerados ou interrompidos por conta da incerteza no futuro.
No dia 26/08, fui convidado para uma reunião com a Pró-Reitoria Acadêmica, na figura de Diretório Acadêmico, sem conhecimento de pauta de reunião e participantes. Uma reunião breve entre Pró-Reitoria Acadêmica, Pró-Reitoria Administrativa, Advogado da Instituição e Assessoria Institucional, em que ficou declarada a necessidade do D.A.D. apresentar o registro legal de atas de criação, eleição e posse, no prazo de 15 dias, pois este órgão “não havia sido criado”, do contrário ocorreria o despejo da sede e a perda do título de Diretório. Foi declarado que nosso mailing informativo de atividades para os professores e funcionários, que tem por objetivo informar e criar canais de comunicação entre as partes, é prejudicial para o tráfego de rede e que funcionários da Belas Artes não pode enviar mailing para os demais. Foi informado que essa comunicação também necessitaria de um controle e restrição.
Dia 06/09 um e-mail da Pró-Reitoria, também encaminhado aos membros, convidou-nos para reunião no dia 13/09 onde a pauta é “Institucionalização do Diretório Acadêmico”. Novamente com presença de Pró-Reitoria Acadêmica, Advogado da Instituição e Assessoria Institucional, 2 testemunhas do Diretório e 7 membros, o clima era de divergência em meio a exigência dos registros em cartório, abertura de empresa, minha recusa, a preocupação quanto à exposição pública de imagem da faculdade, os canais oficiais de contato e manifestação, utilização da imagem sob pena prevista em regimento Institucional resultando em tensão e mágoa entre as partes, regado também a decepções e o meu desejo em manter o DAD livre e independente.
O Diretório Acadêmico de Design como entidade representativa dos alunos e associação dos próprios estudantes é regida pela lei 7.395 de 31 de outubro de 1985 com destaque para o Art . 5º que diz “A organização, o funcionamento e as atividades das entidades a que se refere esta Lei serão estabelecidos nos seus estatutos, aprovados em assembléia-geral no caso de CAs ou DAs e através de congressos nas demais entidades.”
É triste que o conceito de Diretório Acadêmico não seja compreendido em sua atuação e história. Somos passivos diante de muitos colegas que ainda que em ações mais extremas, também representem interesses e o desejo de seus associados, os alunos. Que criticar, questionar e se opor seja interpretado como afronta e não oportunidade de ouvir e melhorar.
Mantenho a visão de que o colaborativo sempre será mais construtivo que o combativo e após retirada a nossa sede, possibilidade de realizarmos eventos, ações e intervenções dentro da Instituição e qualquer tipo de apoio e reconhecimento de setores e funcionários, não vejo algo construtivo à frente. Ainda que existam direitos, não há porque brigar sabendo que existem alternativas positivas.
Portanto embasado por nosso Estatuto, declaro a dissolução do Diretório Acadêmico de Design, o encerramento de suas atividades e o desligamento da Instituição que serão oficializados em Assembleia Geral com nossos alunos ainda essa semana. Os recursos foram devolvidos ou serão doados para uma entidade assistencial também escolhida em Assembleia, conforme prevê Estatuto.
Logo, teremos que apagar ou alterar os veículos e mídias que utilizam o nome da Instituição o quanto antes, para evitar infração de regimento Institucional e/ou legal de utilização de marca.

Esse não é o fim. Independentemente das paredes que te cercam, mantenha-se fiel a si mesmo. Enquanto existir pessoas por quem trabalhar, o trabalho persistirá. O apoio prova que o trabalho é positivo.
O potencial está na COLETIVIDADE.